Da revolução a dissedência: a filosofia francesa depois de maio de 68 – Pierre Zaoui

http://www.cpflcultura.com.br/sites/default/files/videos/DR2/pierrezaoui.flv

Palestra com Pierre Zaoui.

O que pode nos trazer o pensamento francês de depois de Maio de 68 para compreender nosso mundo de hoje? Antes de mais nada, que o modelo revolucionário baseado na oposição frontal entre duas representações antagônicas da sociedade manipuladas desde cima (no nível da vanguarda dos partidos ou das escolas) está morto. Mas também que a morte desse modelo pode ter um custo terrível: o reaparecimento de formas de soberania brutais e arbitrárias no coração das sociedades aparentemente mais liberais (Guantánamo e todas as políticas de repressão extrajurídicas); a regressão social orquestrada (pelas políticas ditas neo-liberais); o esmagamento de todo pensamento alternativo sob a apologia de um “pensamento único” (a ideologia da avaliação objetiva). E ao mesmo tempo que é urgente inventar um modelo alternativo: não mais revolucionário, mas específico (Foucault), em linha de fuga (Deleuze) ou anti-autoritário (Derrida), ou seja, para encontrar um nome comum a essas três modalidades, “dissidente”.

Conteúdo relacionado: Ecos de maio de 1968 e a política transgressora – a vida pode ser fora das normas

By | 2012-05-07T18:56:00+00:00 janeiro 13th, 2009|Vídeos|0 Comments