Pode-se ver a arte, a ciência e a tecnologia como uma tríade, ligadas intrinsecamente, cada uma dependendo das outras para fazer sentido. Sem a cultura humana, a ciência não tem meta, objetivo. Sem a habilidade de abstrair, a espécie humana não se diferenciaria dos animais. O que liga tudo, no fim, é a tecnologia no seu sentido mais amplo: as máquinas, a eletrônica, claro, mas também tecnologias ancestrais, como rezas, rituais, iniciações. O problema é que se existe um desequilíbrio entre as partes dessa tríade, a perda de força de uma é, em última análise, a perda de todas.

Palestra de Max Sandor gravada no dia 9 de outubro, em Campinas.

Evento do módulo A volta do sagrado: superando a crise.

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *