Os índices de violência cresceram consideravelmente nas últimas décadas, passando a ser uma das principais preocupações dos governos e da sociedade civil. No Brasil, as formas de violência são variadas e assumem os mais diferentes aspectos.

Acidentes de trânsito, homicídios, agressões físicas e emocionais compõem um cenário de ocorrências definido quantitativamente por homens. Este cenário mostra que o perfil da violência é prioritariamente masculino.

Os estudos e programas sociais criados para atuar sobre este quadro não levam em conta o diferencial por sexo, que quando é mencionado, é feito de forma genérica e desarticulada da situação em questão.

Nesta apresentação, Sócrates Nolasco procura pensar as razões e motivos pelos quais o homem é apontado nas analises de gênero particularmente como agressor, bem como a função que isto teria para uma sociedade regulada pelo consumo e pela economia.

Sócrates Nolasco é psicoterapeuta e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *