Dentre os comentários sobre a obra de Deleuze, o tema que trata de suas relações com o álcool é raramente abordado, para não dizer inexistente. Ora, ao longo de sua obra, Deleuze fala diversas vezes a respeito do álcool. Durante nossa discussão, dialogaremos, sobremodo, com três textos: a 22ª série da Lógica do sentido, o 2º capítulo dos Diálogos, e “B como Bebida”, do Abecedário. Cabe observar que não existe uma experiência unitária do álcool em Deleuze, mas experiências do álcool: A linha de fuga. Álcool e pensamento. Escrita e álcool. A literatura anglo-americana. A fissura. O sacrifício. A junção. O devir sóbrio e a linha de morte.

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *