Durante as últimas décadas, vimos diagnósticos que afirmavam o esgotamento do potencial crítico da arte. No seu lugar, teríamos uma arte ligada à produção de glamour e de estetização dos domínios mais fetichizados da cultura de massa. Trata-se de mostrar como os últimos anos viram a recuperação da arte como campo de desenvolvimento da forma crítica.

No responses yet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.